top of page

Certhil adquire carro 100% elétrico


A Certhil adquire em 2022 o seu primeiro carro 100% elétrico, trata-se de um veículo da marca CaoaChery, modelo Icar. O veículo tem aplicação de uso para pequenos trajetos, de até 300km e demonstra que a tecnologia já está presente e disponível em nossa região.


Que os carros elétricos estão de volta, não há a menor dúvida. Isso mesmo, de volta, não é algo novo. O carro elétrico existiu nas duas primeiras décadas do século 20 e conviveu com o carro de motor a combustão. Só sucumbiu a este por ser menos prático no que se refere ao alcance e tempo necessário para recarregar a bateria.


O carro elétrico a bateria tem vantagens indiscutíveis em relação aos de motor a combustão. Além de não utilizar combustível explosivo, o motor elétrico é incomparavelmente mais simples que o motor a combustão por ter uma peça móvel apenas, o rotor.


Como o funcionamento do motor elétrico não envolve combustão, não há produção de gases nocivos aos seres vivos, portanto carro elétrico obviamente não tem catalisador para quimicamente tornar esses gases inofensivos.


O motor elétrico não precisa de acoplamento suave e progressivo com a transmissão do veículo, pois uma vez que haja energia elétrica no carro, basta fornecê-la ao motor (acelerar) para este começar a produzir energia mecânica imediatamente. Isto significa que embreagem ou acoplamento hidráulico, como conversor de torque, inexistem carro elétrico.


No longo termo o carro elétrico gerará menos despesas de manutenção, contrabalançadas pelo maior preço do veículo.


Falando de combustível, uma vantagem da energia elétrica sobre os combustíveis é ela jamais poder ser adulterada, o que elimina os conhecidos problemas no motor associados a mau combustível, inclusive aumento do consumo.


Mesmo que motores a combustão estejam rumando para 40% de eficiência, ela é bem baixa comparada à de até 95% do motor elétrico (transforma em energia mecânica 95% da energia elétrica que recebe).


Todo carro elétrico tem o que se chama regeneração de energia elétrica. Ela ocorre sempre que se levanta o pé do acelerador e/ou se freia, estratégia que faz o motor elétrico passar a ser gerador. Na parte que interessa a todos, o custo direto para rodar, assim como nos veículos à combustão, varia conforme a potência, peso e condução do carro. No caso do modelo adquirido pela Certhil, em condições normais, o mesmo supera por ampla margem um par de motor a combustão. O modelo roda em média 8,5 km com 1 kW/h, com o kW/h a R$1,00 tem custo do quilômetro de R$ 0,117, se o proprietário contar com uma geração distribuída em casa, esse benefício aumenta. Já um carro a combustão de mesmo porte que rode 12 km/l (média cidade-estrada) com gasolina a R$ 6,00 o litro tem custo do quilômetro R$ 0,50. Isso significa que o custo direto para rodar num carro elétrico é 76 % menor neste exemplo. Num trajeto de 250 quilômetros, enquanto o motorista do carro a combustão gastará R$ 125,00, o do carro elétrico só desembolsará R$ 29,00.


Nossa energia é pra frente!



60 visualizações

Comments


bottom of page